Favor utilizar outro navegador

Parece que você está usando um navegador que não é totalmente compatível. Por favor, note que podem haver restrições na exibição do site e em sua usabilidade. Para uma melhor experiência, sugerimos que você faça o download da versão mais recente de um navegador compatível:

Internet Explorer, Chrome Browser, Firefox Browser, Safari Browser

Continue with the current browser

Energizando a Bolívia

Juntos trazemos energia para as pessoas

Com os produtos da Siemens, a empresa estatal de energia ENDE ANDINA irá expandir três das usinas termelétricas existentes na Bolívia, acrescentando mais de um gigawatt (GW) à malha energética local, criando empregos e motivando o progresso econômico.

Energia e gás

O futuro hub de energia da América do Sul

Para apoiar os esforços da Bolívia e melhorar o acesso à energia elétrica para sua crescente população e economia em desenvolvimento, a Siemens está ajudando a expandir de maneira significativa as termelétricas de ciclo combinado: Termoelétrica del Sur, Termoelétrica de Warnes e Termoelétrica Entre Ríos. O projeto faz parte de um contrato de colaboração abrangente entre a Siemens e o Ministério de Hidrocarboneto e Energia da Bolívia,  que abarca um volume de longo prazo no valor de mais de um bilhão de euros.

Escopo do fornecimento

A partir de 2017, a Siemens fornecerá à Bolívia 14 turbinas a gás SGT-800, 11 turbinas a vapor SST-400 com condensadores, 22 geradores de vapor, o sistema de instrumentação e controle SPPA-T3000, 25 geradores elétricos e 25 transformadores. Esses equipamentos serão enviados para três localidades diferentes. A usina termelétrica Termoeléctrica del Sur, perto da fronteira com a Argentina, e a usina Termoeléctrica de Warnes, no departamento de Santa Cruz, receberão quatro turbinas a gás, quatro turbinas a vapor e oito geradores a vapor cada. Enquanto isso, a usina Termoeléctrica Entre Ríos, a 220 quilômetros a sudeste de La Paz, a capital do país, será expandida com seis turbinas a gás, três turbinas a vapor e seis geradores de vapor. Os equipamentos chegarão por terra e mar da Suécia, China, Alemanha, Itália, Indonésia, Vietnã e do vizinho Brasil, num esforço global que cobrirá milhares de quilômetros.

Fortalecendo a soberania energética da Bolívia

Fortalecendo a soberania energética da Bolívia

O projeto adicionará mais de um gigawatt à malha energética local, aumentando a capacidade instalada de geração de energia do Sistema Nacional Interconectado da Bolívia em 66 por cento. Isto proporcionará suprimento confiável de energia para a população do país e lançará a base para futuras exportações. De fato, a geração de energia deverá quase que dobrar na Bolívia, de 8,7 TWh em 2014 para 14,2 TWh em 2026, o que permitirá que as exportações de eletricidade planejadas da Bolívia se equiparem à demanda interna até 2025, de acordo com o objetivo principal do país de se tornar o hub de eletricidade da América do Sul e fornecer energia para os países vizinhos. Nós  estamos ajudando a Bolívia alcançar este objetivo por meio de produtos engenhosos e soluções de fornecimento.

Willi Meixner, CEO of Siemens Power and Gas Division

Com este projeto alcançaremos a expansão da capacidade de geração energética mais rápida, mais eficiente e com o melhor custo/benefício da Bolívia.

Willi Meixner, CEO da Divisão Siemens Power and Gas

Marcos

O caminho para a Bolivia

Nos próximos meses, os equipamentos de usinas de energia de três continentes serão enviados para a Bolívia. Além de viajar milhares de quilômetros, através dos oceanos Atlântico e Pacífico, até 400 transportes de carga pesada cruzarão a Cordilheira dos Andes, passando por condições climáticas extremas, terrenos acidentados e altitudes acima de 4.500 metros. A primeira etapa da entrega começou em maio de 2017 e sua etapa final está prevista para meados de 2018.

image

Antonov 225 apoia a Siemens no caminho para a Bolívia

A logística do projeto é um desafio: a localização das três usinas. No ano passado, as primeiras turbinas foram transportadas, através do oceano, da Suécia para o Chile, onde foram carregadas para os caminhões e transportadas pelos Andes para seus destinos. O ponto mais alto da rota foi aos 4.680 metros, quando o equipamento passou os Andes.
Os seis Geradores Verticais de Vapor (GVV) para a Usina de Entre Rios atingirão novas alturas. A Siemens transportará os equipamentos GVV de 150 toneladas (cada) do Chile para a Bolívia, usando o maior avião do mundo: o Antonov 225. No total, serão 12 vôos até as 6 últimas GVV chegarem à Usina de Entre Rios.
Escolhemos este método de transporte para os componentes mais pesados e que são logisticamente desafiadores para garantir a solução mais confiável e rápida. A área de Energia e Gás da Siemens está comprometida em manter suas promessas de ser um parceiro confiável para seus clientes.

construction site Termoeléctrica del Sur

Equipamento inicial da usina de energia chega à Termoeléctrica del Sur

Após uma longa jornada, as primeiras turbinas a gás e a vapor chegaram à usina Termoeléctrica del Sur, localizada no estado de Yaguacua, a 40 quilômetros do município de Yacuiba, que faz fronteira com a Argentina. Embora a viagem tenha terminado em agosto, ela começou muito antes disso. As turbinas a gás deixaram a Suécia em maio, viajaram de barco para o Chile e, a partir daí, de caminhão para a Bolívia. Já a turbina a vapor, deixou o Brasil em junho. Ambos fazem parte de um contrato em curso com o governo local, que inclui outros equipamentos e, eventualmente, adicionarão 320 megawatts à capacidade atual da usina Termoléctrica del Sur. Devido à sua localização geográfica, esta expansão desempenha um papel estratégico e, a longo prazo, permitirá que ela atenda mercados locais e estrangeiros.

SST-400 Turbine , Siemens factory Jundiaí

A Siemens começa a entrega de turbinas a vapor

Em junho, a primeira turbina a vapor Siemens SST-400 deixou a fábrica de tecnologia em Jundiaí, no estado de São Paulo, e começou a se dirigir à Bolívia. De acordo com o acordo assinado com o governo boliviano em 2015, um total de 11 turbinas a vapor serão instaladas em três usinas termelétricas operadas pela Ende Andina. O número representa a maior entrega na história da planta de Jundiaí. Para a Bolívia, o projeto também é épico. Assim que o resto das turbinas a vapor sejam entregues, juntamente com caldeiras de recuperação e turbinas a gás da Europa e da Ásia, também incluídas no acordo de 2015, a Bolívia verá um aumento de 1.000 megawatts em sua rede, aproximadamente metade do poder instalado de outras estações termelétricas e hidrelétricas no país.

As primeiras turbinas a gás começam a sua viagem

Em maio de 2017, duas turbinas a gás da Siemens foram embarcadas em um cargueiro de carga pesada no porto de Norrköping, na Suécia. De lá, a carga de 170 toneladas viajou até 14 mil quilômetros até o porto de Arica, no Chile. Ao chegarem, elas foram carregadas em um caminhão e transportadas por terra através dos Andes até o seu destino final: o canteiro de obras da Termoeléctrica del Sur. O caminho de 1.800 quilômetros apresentou diversos desafios logísticos, com 180 pontes, uma rede de estradas que dependem de condições meteorológicas e picos de 4.680 metros ao longo do caminho.

As turbinas a gás acionarão os geradores elétricos e produzirão vapor para a turbina a vapor, possibilitando um aumento de 50% na eficiência da usina. As bases da turbina foram preparadas com antecedência, de modo que o processo de instalação é executado dentro do cronograma estabelecido e evita atrasos.

Infográfico

Fatos sobre o projeto

Atualizações sobre Energizando a Bolívia

Notícias mais recentes

Siemens e Bolivia estão realizando um projeto ambicioso para aumentar a capacidade de geração de energia do país, fornecer suprimento estável de energia à população local e exportar eletricidade para a América do Sul como um todo. Mantenha-se atualizado com os nossos últimos comunicados à imprensa e relatórios sobre o andamento do projeto.

Latest images from the project

Imagem feita por drone do canteiro de obras

A usina termelétrica Termoeléctrica del Sur, localizada ao norte da Argentina, desempenhará um papel estratégico para a Bolívia. Uma vez que esteja totalmente operacional, ela poderá exportar energia para as nações vizinhas da América do Sul.

Termeléctrica del Sur

A usina termelétrica, Termeléctrica del Sur, abril de 2018. Um dos componentes-chave: turbina a gás SGT-800.

Turbina a vapor SST-400 empacotada

Em agosto, a usina de energia termelétrica Del Sur recebeu novas turbinas a gás e a vapor da Siemens. O equipamento viajou por meses entre mares e montanhas.

Conferência de imprensa

O presidente boliviano Evo Morales inspecionou a chegada das duas primeiras turbinas a gás, com seus respectivos geradores e a primeira turbina a vapor para a usina termelétrica Termoeléctrica del Sur.

Port Arica

O equipamento percorreu cerca de 14.000 quilômetros por mar até chegar ao porto de Arica.

Shipping

Um container com uma turbina a gás SGT-800 é carregado em um navio cargueiro. Ele tem uma longa jornada pela frente, com condições climáticas extremas, tanto no mar quanto em terra firme.

Loading Cargo on ship

Duas turbinas a gás da Siemens começam sua jornada de Finspang, Suécia, até a usina termelétrica de Del Sur, perto da fronteira com a Argentina.

Portfólio

Soluções e produtos

A Siemens propicia suprimento de energia confiável, acessível e eficiente através de tecnologia inteligente, equipamentos de ponta e opções inovadoras de serviços e fornecimento.  

Apoio ao Cliente

Contato

Para mais informações sobre Energizando a Bolívia, favor entrar em contato com nossos especialistas.